Aula 14.A

Tema : Introdução a Prece das Fraternidades e Escalada completa.

CONCEITO DE FRATERNIDADE
1 Parentesco entre irmãos.
2 Solidariedade de irmãos.
3 União ou convivência como de irmãos.
4 Amor ao próximo.
5 Harmonia entre os homens.
6 Relações harmoniosas entre pessoas da mesma profissão, ocupação, classe etc.

O termo “Fraternidade”, é utilizado para designar agrupamento de pessoas ligadas entre si pelos mesmos desejos, ideais e objetivos. Na essência significa irmandade, amor, aproximação, formando seus membros uma mesma família ou comunidade e, por extensão, uma mesma nação, povo ou raça, provindos de Deus, Criador e Pai, que a todos dá vida e destino por igual, seres humanos que se unem sob um lema, uma bandeira, uma finalidade determinada de evolução ou de realizações espirituais.

   * PRECE DAS FRATERNIDADES *
Nosso Divino Mestre e Salvador
fortalecei-nos e amparai-nos
para que possamos lutar
contra as forças do mal,
que tentam dominar o mundo.

Veneráveis Mensageiros Celestes,
auxiliares de Jesus,
fortalecei-nos e amparai-nos,
para que possamos lutar
contra as forças do mal
que tentam dominar o mundo.

Pai Nosso, Criador Nosso,
fonte eterna de amor e de luz,
fortalecei-nos e amparai-nos,
para que possamos lutar
contra as forças do mal
que tentam dominar o mundo.

** Indicado em aula:
Livro:  O Instituto de Confraternização Universal e as Fraternidades do Espaço / Martha Gallego Thomaz
Livro:  História das Fraternidades / Martha Gallego Thomaz
Livro:  Exilados de Capela / Edgard Armond

Leitura: 16 – Chefia e Subalternidade / Livro Sinal Verde
Não olvidar que o chefe é aquela pessoa que se responsabiliza pelo trabalho da equipe.
A melhor maneira de reverenciar a quem dirige, será sempre a execução fiel das próprias obrigações.
Quem administra efetivamente precisa da colaboração de quem obedece, mas se quem obedece necessita prestar atenção e respeito a quem administra, quem administra necessita exercer bondade e compreensão para quem obedece, a fim de que a máquina do trabalho funcione com segurança.
Orientar é devotar-se.
Aquele que realmente ensina é aquele que mais estuda.
Um chefe não tem obrigação de revelar ao subordinado os problemas que lhe preocupam o cérebro, tanto quanto o subordinado não tem o dever de revelar ao chefe os problemas que porventura carregue no coração.

Defeitos – resquício de animalidade. Característica da personalidade, tendência, posturas arraigados – visão da psicologia como “desvio ou anormalidade” – um comportamento inadequado ao meio.

Vícios – é um hábito nocivo, repetitivo que degenera ou causa algum prejuízo ao viciado e aos que com ele convivem. Podemos adquirí-lo de um amigo ou podemos fazer porque todo mundo faz. São hábitos mais comuns, tidos como costume social, causando a dependência do ser humano,  a si e ao próximo.

  • Drogas : Fumo , Álcool , entorpecentes, narcóticos,etc…
  • Sexo: luxúria até perversão sexual, sensualismo exagerado etc…
  • Jogo– bicho, bingo, cavalos, loterias, etc..
  • Conduta alimentar : gula
  • Conduta Social: palavrão , palavras xulas , xingamentos no trânsito , fofocas , críticas pejorativas , maledicência , desrespeito e falta de cuidado com meio ambiente …
  • Tecnologia – internet, jogos, redes sociais, programas de TV, celular etc…

# TRABALHO DE SENTIMENTOS
        – AGRESSIVIDADE
Reflexo do ódio, do rancor, do desejo de vingança, da cólera.
Se manifesta nos campos:
⇒ Das emoções – por impulsos que brotam no campo emocional.
⇒ Dos pensamentos – quando cedemos às emoções e nelas nos envolvemos.
⇒ Das palavras – por impropérios pronunciados
⇒ Dos atos – por agressões corporais.

        – DISCIPLINA
A palavra “disciplina” deriva-se de “discípulo” e tanto uma quanto outra palavra, ambas tem origem do termo latino para pupilo que, por sua vez, significa instruir, educar treinar, dando idéia de modelagem total de caráter.
A disciplina é um hábito interno que facilita cada pessoa o cumprimento de suas obrigações, é um autodomínio, é a capacidade de utilizar a liberdade pessoal, isto é, a possibilidade de atuar livremente superando os condicionamentos internos e externos que se apresentam na vida cotidiana.