Preleção da Semana 46 – Caso grave

“… Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado para quem será?” – Jesus (Lucas 12:20)

Dentre os nossos companheiros de experiência humana, aquele:
que apenas enxerga as suas necessidades, sem consideração para com as necessidades de seus vizinhos;
que jamais se afastou da casa farta, nem mesmo por momentos, para levar um pão à choupana que a penúria vigia;
que nunca se lembrou de oferecer migalha dos recursos que lhe são próprios, nas obras da solidariedade;
que vê exclusivamente as exigências dos próprios filhos, laureando-os de abastança e carinho, sem tentar, nem mesmo ao de leve, minorar o suplício das crianças abandonadas;
que se iluminou com facho da ciência e se trancafiou em bibliotecas valiosas, sem estender a mais ligeira réstia de luz aos ignorantes;
que se enriqueceu de tributos afetivos no lar tranqüilo, sem acender, em tempo algum, o menor raio de esperança ou de alegria para a viuvez em desamparo;
que unicamente sabe desfrutar vantagens pessoais, sem alongar braço amigo na direção dos que anseiam por singela oportunidade das muitas oportunidades de elevação e progresso que lhe favorecem a vida;
que vai, existência fora, no carro da saúde física, cerrando os ouvidos para não escutar o choro e a súplica dos doentes que lhe rogam proteção e consolo;
é, de todos os irmãos prejudicados pelo egoísmo, um caso dos mais graves e dos que mais carecem de piedade, com direito a ser internado com urgência em nosso pronto-socorro da oração.

Esse post foi publicado em Diversos. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Preleção da Semana 46 – Caso grave

  1. Ana P S Rodrigues disse:

    Casa vez mais difícil olharmos para os nossos vizinhos sem pensar em nossas próprias dores,cada vez mais difícil pensar que não seremos apunhalados por aqueles dos quais estendemos as mãos.Essa semana mesmo ouvi uma pessoa dizer ” cansei, não ajudo mais quem quer que seja” como se isso fosse possivel, como se pudessemos simplesmente fechar os olhos. Creio que o menor gesto em direção do próximo faz-se necessário não só para quem está recebendo, mas para nossa própria evolução. Olhar a todos com amor, independente de consequências futuras ou compensações, é o melhor caminho para nosso próprio bem estar e, se alguém for egoísta o suficiente para não se compadecer com a dor do outro então que aja, ajude de qualquer maneira, em benefício de si mesmo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s